25 de fevereiro de 2016

Em meio a Multidão

Tirei essa foto no dia do meu aniversário, quando decidir fazer um tour por SP. Vi esse casal, e sentir que deveria tirar a foto.
Só estava esperando para postá-lo quando sentisse que deveria postar.  Lindo ♥



Ando pelas ruas.
Com os meus sonhos.
Tentando torna-los real.
Com a cabeça fixa num só objetivo.
Num objetivo que tanto quero, e que sei que um dia vou conseguir.
Não é auto-confiança, ou me achar melhor que alguém
É apenas ter fé, e esperança.
Fé, pra continuar seguindo em frente.
Esperança, pra continuar acreditando.
Continuo andando pelas ruas, e quando paro numa praça, ou quando paro para esperar o ônibus fico observando as pessoas. Cada um com os seus sonhos, que nem eu. Cada umas com os seus problemas, que nem eu. Cada uma com o seu modo de ser e viver, quem nem eu. Paro pra pensar, que somos tão parecidos e ao mesmo tempo tão diferentes.
Mas às vezes, no meio desse turbulento caos do dia a dia, meus olhos avistam o Amor.
Na sua simplicidade, com pequenas demostrações que fazem meu coração pulsar mais forte.
Que fazem uma coisinha brotar aqui dentro, e querer viver àquilo.
Poder viver o amor dos livros, filmes e o da vida real.
Querer fazer/viver àquilo que os meus olhos avistam em meio a multidão.
Poder andar de mãos dadas...ficar do mesmo jeito que eles ficam. Como si àquela multidão não existisse. Como si nada mais existisse. E sim, só os dois.
O amor é uma coisa tão bela, que penso que pelo menos uma vez na vida todas as pessoas do mundo, deveriam amar e serem amadas.
Transbordar esse sentimento tão lindo, na sua mais bela essência verdadeira, que faz o bem.
Espero um dia poder viver isso.
É, quem sabe um dia?!




~~~♥~~~

Até a Próxima.

11 de fevereiro de 2016

músicas, e o rebuliço que algumas fazem dentro de nós



Acho magnífico quando ouvimos uma música e ela nos tocam/nos fazem sentir coisas que não conseguimos dizer o qui são. Apenas deixamos a música entrar por nossos ouvidos, e com o seu passar, vão surgindo emoções que não sabemos da onde veem, e muito menos o que são de verdade. Parece que a música e nossos sentimentos  vão se moldando uns com os outros. Isso acontece sem nenhum aviso prévio, é apenas sentir. Conforme a música vai passando, um reboliço de emoções e sentimentos vão aflorando... e parece que àquela música que está ali tocando, foi feita para você. Parece que ela entende tudo que si passa dentro de você, todas as angústias, alegrias, sofrimentos, felicidades...parece que ela sim, te entende.

Não sei explicar como isso acontece, e acho que nenhum pesquisador ou cientista consegue. Existem coisas que não conseguem ser explicadas, e penso comigo que algumas é melhor deixar assim mesmo. Nem sempre conseguimos saber/dizer o que si passa dentro de nós, e só queremos colocar os nossos fones de ouvidos e esquecer do mundo lá fora. Ficar só você e suas músicas, dentro do seu mundo.

Tem música pra todo sentimento e emoção que existe no mundo e nas pessoas. Eu acredito que cada pessoa no mundo, tem uma música que lhe faça sentir coisas boas. E essa que eu coloquei no comecinho do post me faz sentir muito bem.  A escutei pela primeira vez, nessas playslist aleatórias do youtube. Vi essa foto do vídeo e decidir tocar pra ver o qui era, e não me arrependo. Descobrir que essa música é trilha sonora do filme Regras da Vida, que no mesmo dia assistir,  e é belíssimo. Com uma fotografia e trilha sonora maravilhosos, e com temas bem atuais e polêmicos, que vale muito a pena ser visto.  Até acho que gostei mais da música do que do filme. Amo músicas instrumentais que só tocam os instrumentos sem nenhuma voz. Dá pra escutar todos os instrumentos, e isso me toca muito.

É muito bom poder encontrar músicas que te fazem sentir coisas boas. Um música que só você sabe, e ao mesmo tempo não sabe, o porque de gostar tanto?!  Existe coisas inexplicáveis, e isso é uma delas. Espero que todos teêm uma música que te façam sentir como eu me sinto, quando ouço essa música. E quem não tem, pode ter certeza que um dia vai encontrar a sua.


~~~~♥~~~~

Até a Próxima

7 de fevereiro de 2016

Outroso - Um Outro Mundo

Imagine um outro mundo... Um mundo que você e seus amigos criaram. Um mundo que só vocês sabem da existência. Um mundo que só vocês podem ir... e o melhor, ele existe de verdade.
No bairro de Florida, localizado nos arredores Buenos Aires, vive uma turma de amigos bem unidos - Ariadne, Terê, Batata, Rosinha e Hugo decidem criar um mundo só deles. Com o deslocamento de um simples ladrilho (azulejo), na cozinha da casa de um deles, começa a surgir um novo mundo. Um mundo com outras regras, com um novo jeito de viver. Onde a Patota (gangue do bairro), que inferniza suas vidas, não pode encontrá-los. Com muita força de vontade e em pouco tempo, criam uma rede de túneis e galerias por baixo do bairro onde moram. Começa a surgir um mundo subterrâneo e secreto, começa a surgir Outroso - Um outro Mundo, onde si pode fazer o qui quiser, ser quem eles quiser.

Traduzido por Ana Maria Machado, e escrito pela escritora argentina Graciela Montes, o livro é uma metáfora criada pela autora, para si expressar sobre a opressão e resistência vividas pela Argentina, durante o regime militar. Em nenhum momento Graciela fala sobre o regime militar, e a opressão vividas pela Argentina e consequentemente por ela. Mas através do seu livro, dessa metáfora criada pela autora, os amigos sofrem opressão de uma gangue, do mesmo jeito que milhares de pessoas, principalmente jovens, sofreram durante as ditaduras latino americanas e pelo mundo. Principalmente porque através do livro dá pra si imaginar como esse período foi difícil, porque os amigos tiveram que criar um novo mundo, onde eles podiam expressar suas emoções tão oprimas no mundo lá fora.
O livro é narrado pelo jornalista do bairro que tenta a partir de relatos, histórias contadas pelos moradores do bairro; e a partir de suas próprias impressões e com sua imaginação, junta tudo isso de um modo que tenta reconstruir tudo o que aconteceu em Outroso - não dá para ele chegar numa versão concreta do que de fato aconteceu embaixo do bairro de Florida, porque ele nunca esteve em Outroso, mas principalmente para que ele próprio consiga compreender o lugar onde vive.


Tenho que confessar que quando comecei a ler Outroso, parei a leitura no meio. Não entendia quase nada, e larguei ele num canto durante um bom tempo. Depois desse tempo, o vi jogado naquele canto e decidir pegá-lo e lê-lo do começo de novo, e não me arrependo. No começo, de novo, fiquei meio confusa mas depois fui pegando o jeito, o gosto pela leitura, pela narrativa criada pela autora, e principalmente pela história criada por Outroso.
Outroso é uma surpresa atrás da outra. Paro pra pensar, e falo: como pude deixar de ler esse livro? Pois digo que existe momento para tudo, tudo tem sua hora. Quando peguei Outroso não imaginava que num livro tão pequeno no seu número de páginas, poderia ter uma história tão empolgante e envolvente. Si for parar para pensar, é uma história de fantasia no mundo real, sim! Cinco amigos, querendo escapar do mundo onde vivem oprimidos por uma gangue de bairro que vive enchendo- os saco completamente, criam um mundo subterrâneo cheio de galerias, túneis, saídas, saídas de emergências...onde eles podem ser eles de verdade. Onde eles podem expressar seus sonhos, suas fantasias sem medo de serem oprimidos pelo o que são. Um mundo dentro do mundo, um novo mundo. 

Eu não conhecia Graciela Montes, esse é primeiro livro que leio dela. Gostei muito da sua escrita, do jeito que vai desenrolando/desenvolvendo a história é muito legal. Te prende do começo ao fim,
querendo saber logo o qui acontecer no próximo capítulo. É muito legal com quando isso acontece, pelo menos pra mim, gosto de histórias que existe essa tensão no ar, e isso Graciela faz muito bem em Outroso.
Super indico lerem Outroso - Um Outro Mundo. Um livro cheio de tensão, que te prende, e que você precisa saber o qui vai acontecer. Um livro onde a amizade, e a coragem de querer ser o qui é, ti mostra que vale a pena lutar pelo o qui si acredita. Um livro que você vai amar os personagens, a escrita de Graciela Montes, e vai te fazer pensar muito. Pegue Outroso, e mergulhe nesse outro mundo.

Indico também lerem outros livros da Graciela Montes. Essa grande escritora de livros InfantoJuvenis que é tão pouco conhecida por aqui, e que merece mais reconhecimento por suas obras. E por ser uma grande escritora mulher. 


Afinal de contas, uma história é, como o fio de barbante de Ariadne, um círculo sem fim, que muda de forma e é sempre o mesmo.
Jornalista


~~~♥~~~

Até a próxima