28 de janeiro de 2016

era pra ser sobre o Rouge, mas não foi

Tava eu aqui, pensando no que postar, e nada do que eu penso me dá vontade de postar (simples assim!). Sou daquelas pessoas que só sabe pensar, e na maioria das vezes,  nada do que pensa bota em prática - acho que tenho algum tipo de problema nervoso com "fazer coisas", ou apenas pode ser preguiça? sinto lhes informar que não! - Não tenho preguiça ( algumas vezes sim), quando penso em alguma coisa nova, que me dá vontade de fazer e, consequentemente começo a pensar no que eu vou ter que fazer para àquilo si tornar realidade, me bate uma coisa muito estranha.
tá confuso?!
Às vezes isso acontece em relação ao blog. Quando penso em fazer algum post novo, ou mudar alguma coisa por aqui, sinto um misto de ansiedade e medo, que logo me colocam para baixo e assim, fazem eu desistir de tentar. Há alguns dias li um texto - muito bom - no Blog Conversas Imaginárias sobre a questão da escrita - que o gosto pela escrita é um hábito que desenvolvemos com o passar dos anos, sempre com muito treino e disciplina.

É difícil a gente achar inspiração para escrever todos os dias? sim, é difícil! - e todos que gostam de escrever sabem como é. Às vezes passo o dia olhando para a parede, ou para o computador procurando coisas que inspirem, ou pior, olhando para a tela em branco de postagens do blogger, e nada vem na cabeça. Nada te faz começar a escrever, como nos dias que você está "inspirado".
Deus, dai-me luz
Eu gosto muito de escrever. No começo ficava meio relutante, e não achava que as pessoas iriam gostar do que eu escrevesse - mas tem uns anjos iluminados, ou doidos, que gostam do que escrevo. Sei que que não escrevo tão bem, mas como disse acima a escrita requer um trabalho árduo de dedicação e amor por essa obra de arte, que é escrever.

Como disse a Monique no seu texto: "Não deveria existir uma fórmula mágica para escrever. Se gostamos, deveríamos ser capazes de encarar a tarefa como algo tão importante quanto o trabalho que garante o pão nosso de cada dia." Isso me fez pensar muito. Me fez pensar no quanto eu gosto de fazer isso, no quanto eu gosto de escrever aqui no blog, no quanto eu gosto desse mundo todo que envolve a escrita.

Escrever requer muita paciência. Nem sempre vamos estar inspirados para escrever. Vão existir dias que por mais que você pense, nada do que estar a sua volta te dá vontade de escrever; mas mesmo nesses dias é preciso escrever. Diria que principalmente nesses dias de "inferno astral da escrita", é preciso escrever. Exercitar mesmo nos dias que você não tiver nada de "bom" para escrever. Acredito que é nesses dias, que as melhores coisas são escritas.
hahaha!
É preciso sempre tentar fazer as coisas. Às vezes não estamos num dia legal, ou apenas não estamos com vontade, mas não podemos deixar que esses Bad Days tomem conta das nossas vidas, e das coisas que queremos. Estou tentando botar isso em prática. Deixando a procrastinação de lado, mas principalmente o medo do desconhecido. Por mas que eu vá, e nada que achava que daria certo, der errado, vou continuar a tentar.

Ps:. Este post era pra ser sobre o Rouge, mas comecei de um jeito, me enrolei no meio do caminho e acabou assim... e nada de Rouge. Essas coisas acontecem, deixa pra próxima.


~~~♥~~~

Até a Próxima

17 de janeiro de 2016

A lei do Amor

OLÁ POVO!

Já estamos em 2016, e até agora muitas coisas já aconteceram por esse mundão, mas por aqui até agora nada. Acho que com todas as coisas já aconteceram nesses primeiros dias de 2016, já da pra fazer uma retrospectiva. Mas tenham fé, vamos sobreviver.

É a primeira vez no ano que apareço por aqui, e quero lhes desejar primeiramente um Feliz 2016 e que tudo corra bem na vida de cada um de vocês. Uma coisa que creio muito, é que quando você deseja/cultiva coisas boas - coisas boas veem para você. É isso que eu estou tentando fazer neste novo ano (espero que vocês também), depois daquele turbilhão de más vibrações que foi 2015. Uma das coisas boas que me impulsionaram a sentir/querer isso cada dia mais foi assistir a novela Além do Tempo, transmitida pela globo.

No começo da novela, eu achava super sem graça. Apesar de eu saber que trama era super bem feita, e envolvente, eu só assistia por assistir; e não imaginava que um dia eu iria falar dela aqui. Depois que o tempo foi passando, e que eu descobrir que teria uma segunda fase e que os personagens iriam reencarnar nos tempos atuais, foi aí que ela me conquistou. Eu já tinha visto novelas com esse tema da espiritualidade, mas nenhuma outra me fez pensar/gostar e assim, me interessar tanto por esse assunto.

Esse assunto que a novela abordou, de reencarnação/espiritismo me fez pensar muito nisso. Que tudo que você fez, ou não fez na outra vida, nessa você terá uma nova chance pra se redimir e fazer a coisa certa. É um assunto para si pensar. Tem pessoas que acreditam, tem pessoas que não. Eu não sei muito desse assunto, não tenho muito domínio sobre isso (nenhum completamente), mas eu acredito. Já acreditava antes mesmo da novela vir ao ar, eu já pensava nisso. A vida não pode ser só isso aqui. Não podemos ter apenas uma chance. Acredito que tenhamos não só uma segunda chance, mas sim,
muitas até conseguirmos acertar. Até conseguirmos perdoar, e principalmente nos perdoar. Acho que para isso se precisa de muitas chances/vidas para conseguir. E prefiro pensar que Deus é muito paciente e dará quantas forem preciso até conseguirmos.
fonte
Fica permitido tudo o que é bom. Sei muito bem, que não é só de coisas boas que existe a vida. Sei que muitas vezes é difícil ver/fazer coias boas no mundo em que vivemos. Existe coisas ruins e coisas boas. Existe pessoas ruins e pessoas boas. Mas, acredito fielmente que existem mais coisas e pessoas boas, do que ruins. 

Não importa a sua religião. Se você acredita ou não em Deus, ou em algum ser maior. Se você acredita ou não, em reencarnações, outras vidas, segundas chances... Não importa! O que realmente importa, é o Amor. O maior poder do mundo. O qual onde pelo menos uma vez na vida, todos já sentiram. Dos seus pais, irmãos, avós, amigos, amores... o que importa é sentir e transmitir isso ao outro. Deixo-o entrar em suas almas, e o transborde a todos.

foto: Carol Caminha/Gshow
           

"Então, é possível, que tenhamos raiva ou que tenhamos ódio, é possível, sem termos direito para isso. 
Porque o ódio que sentirmos ou a cólera que alimentemos recai sempre sobre nós, no sentido da doença, de abatimento, de aflição e só pode nos causar mal, já que deixamos, há muito tempo, a faixa da animalidade para entrarmos na faixa da razão. 
Somos criaturas humanas e por isso devíamos sentir a verdadeira fraternidade de uns para com os outros, sem possibilidade de nos odiarmos, porque os irmãos verdadeiros nunca se enraivecem, uns contra os outros."
(Chico Xavier)


Uma belíssima novela, em todos os sentidos. Parabéns a todos que a fizeram. 
Ps: O objetivo de vocês foi conquistado: Conseguiram tocar corações.

~~~♥~~~

Até a Próxima