13 de dezembro de 2016

vida em verbos

Olá pessoal, como estão? ? ? Eu estou bem , obrigado ! E espero que vocês também . Estava morrendo de saudades desse lugar, e aqui estou eu novamente.  O ano passou num pulo, não é ? ? E cá estamos em dezembro com o Natal e Ano Novo batendo na porta. Ainda tem essa correria loca e ao mesmo tempo, pra mim, gostosa de fim de ano. Bom, eu estou viva e o blog também. Estou planejando alguns posts para esse ano ainda , então esperem que haverá posts aqui. Pra começar deixo vocês com esta tag, que não me lembro a onde encontrei, mas gostei dela e ela está aqui. Bora ? !

Ouvindo: Te Assumi Pro Brasil - Matheus e Kuan . Sim queridos amigos , uma hora o sertanejo chega para todos.
Lendo: artigos, livros, revistas . . . para o vestibular .
Agradecendo: Tudo o que me aconteceu , e continua me scontecendo este ano.
Planejando: Muitas coisas. . .
Fazendo: Assistindo Masterchef Profissionais, VAIII DAISYYYYYYY
Jogando: Nada.
Querendo: Resposta .
Perdendo: Ele
Desejando: Ele
Amando: Eu, família, amigos, ele.
Esperando: Eu me decidir
Admirando: Ele
Necessitando: Abraço
Vestindo: Pijama
Sentindo: um turbilhão de sentimentos
Desfrutando: Essa doideira que é viver.

~~♥~~

20 de outubro de 2016

20/10

Hoje, há de 19 anos atrás, neste mesmo 20 de outubto no ano de 1997,eu nascia. Não quero fazer um discurso logo, mas sempre quando é meu aniversário gosto de deixar esta data registrada. E depois de anos,olhar para trás e se lembrar de como foi este dia.
Hoje tive um dia corrido. Logo quando sai de cada pela manhã começou a chover, mas logo passou. Fui trabalhar, depois ia haver uma confraternização da empresa, que tínhamos que ir. Decidir ir. Achei que iria ser chato, mas não foi. Foi muito legal. Estava com pessoas que me fazem bem e que eu gosto e amo. Recebi muito parabéns. Abraços. Desejos de felicidades, saudade e paz, os quais eu desejo tudo em dobro pra todos. Daqui a pouco o dia 20/10 se vai e o dia 21/10 chega. Outras pessoas irão fazer aniversário e assim vai... O meu aniversário não irá durar para sempre. Infelizmente essa data só acontece uma vez por ano, e temos que aproveita-lá. Um momento de olharmos para nós mesmos e nos enxergamos. Acredito que é uma data para renascemos de novo... e ver que tudo acontece, tanto pro bem quanto pro mal, mas depende somente de você para onde ir.

Isaías, Marina (eu), Tatiane, Camila, James e William

Tatiane e Eu <3333

Este foi o meu dia. Meu aniversário 💗

11 de outubro de 2016

músicas que estão me fazendo bem

Ultimamente nesses dias conturbados em que eu estou vivendo, existe duas coisas que me ajudam a enfrentar tudo isso: Música e Livros. Sei que o blog está muito parado, mas neste exato momento não dá pra mim voltar completamente. Estou estudando pro Enem, que já tá batendo na porta, mais o meu  trabalho, e mais outros coisas em casa, na vida, comigo... não está sendo fácil viver com tudo isso. Tudo isso deve estar acontecendo por que estou no inferno astral, daqui a 9 dias é meu aniversário, e ainda estou de TPM, então irmãos não se aproximem, pois estou atirando pra todo lado. Às vezes sinto que vou desabar, largar tudo e sumir... mas não dá pra fazer isso, não posso passar a vida fugindo de tudo, tenho que enfrentar. Estou tentando fazer isso, mas não é fácil, mas to tentando. Aí coloco os meus fones de ouvidos - que finalmente comprei - e a música me ajuda a aliviar a tensão, assim como ler. Quando leio esqueço do mundo que existe fora das páginas e vivo àquele momento de forma profunda.

Nos últimos tempos, estou escutando muita música, que não conhecia, e que estou me fazendo muito bem. Aqui vou lhes mostrar algumas que tocaram o meu coração: 


Apesar de eu torcer meio o nariz quando se trata de sertanejo, assim que eu ouvir essa música, amei completamente. Ela me tocou tanto. A letra fala um pouco, sobre como toda a garota tem que ser forte, ou melhor, se achar forte. Acreditar me si mesma que tudo vai ficar bem.

Como toda garota 
Que não teve outra escolha
Era ser forte ou ser ainda mais forte
Nunca precisou contar com a sorte


Essa música fez parte da novela Velho Chico exibida pela rede globo. AMOOO dimais essa música. Eu AMAVA aquela novela, o cenário do rio São Francisco, a fotográfica, os atores...tudo. Tudo muito bem feito, bem produzido. E também gostava muito da trilha sonora desta novela. A valorização da música brasileira ali. A música nordestina tão linda. Mas especialmente essa música me tocou. Tocou lá dentro,que todos os dias escuto ela. É uma música triste, sobre o fim. Vale muito a pena ouvi-lá <333

Se esse rio desaguar em ti
Viverás, viverás, viverás sem mim
Mas não se acontecer assim
Morrerás, morrerás, morrerás em enfim 


Essa música também fazia parte da trilha sonora de Velho Chico. Nunca fui muito fã da Legião Urbana. Conheço algumas, mas nunca fui fão, fã de verdade. Sempre admirei muito o Renato Russo, por conseguir transformar em música aquilo que muitos de nós não conseguimos dizer o que é. E está música é verdadeiramente linda, tocante e inspiradora.

Ainda que eu falasse a língua dos homens
e falasse a língua dos anjos, sem amor
eu nada seria.


Olha outro sertanejo na área kkk, realmente estão me ganhando. Bom, encontrei essa música quando estava vendo vídeos de casais de séries, filmes pelo youtube. Cliquei neste vídeo e essa música e o vídeo me ganharam logo de primeira. Realmente a música e o vídeo são lindos. Combinaram perfeitamente.

Me conta como engana a saudade
se for mentira vou contar toda a verdade
que a gente se gosto desde pouca idade
até o relógio cansou de esperar
e parou pra esperar a gente

Quem bom que você voltou!


Essa música eu descobrir hoje. Eu já sabia que ela existia, mas só hoje parei para escutá-la. Ela muito fofa. Os acordes a letra, a voz se compõem muito bem. Ao ouvi-lá só me dá vontade de deitar na cama e ficar escutando-a.

A chuva é o vento que leva
O sol é o vento que trás
Me diz porque tanto 
Bem-me-quer Mal-me-quer
Não diga que plantou e não deu
A flor mal nasceu morreu
E ao beijar o chão, suspirou e se rendeu.


Música linda. Quando a ouvi, chorei tanto que acredito que, até desidratei. Não tenho palavras pra dizer o que essa música me causou, apenas sentir <333

E quando eu vi eu me lancei no mar
Em busca ao menos de um pedaço meu
Estava tudo perto de afundar
Mas alcancei metade do meu eu


Essa música é tão fantástico, que também não encontro palavras para descrevê-la. Ela fala e como o tempo é importante para descobrirmos que somos. Para nos conhecermos melhor. E com o passar deste tempo, e com descobertas sobre você, te fazem uma pessoa melhor do que antes. É linda a letra. Essa música faz parte da nova novela das 21hrs da Globo, A Lei do Amor.

Eu sou maior do que era antes
Estou melhor do que era ontem
Eu sou filho do mistério, e do silêncio
Somente o tempo vai me revelar quem sou


Essas músicas são uma obra de arte. Neste vídeo estão três músicas cantadas e tocadas, somente com voz e violão, por Saulo. Amo todas às músicas, mas gosto principalmente da primeira música, chamada Anjo. Essa música me toca tão profundamente. Tem uma letra tão bela, um verdadeiro poema. Ela me faz tão bem. Traz uma paz gigantesca, tão doce, tão lindamente bela. Ouço-a e deixem elas lhes tocarem.

Hoje eu acordei mais cedo e fiquei te olhando dormir
Imaginei algum suposto medo, para que tão logo pudesse te cobrir
Tenho cuidado de você todo este tempo
Você está sob meu abraço e minha proteção
Tenho visto você errar e crescer
Amar e voar
Você sabe a onde pousar
Ao acordar já terei partido, estarei de longe escondido
Mas sempre perto, decerto
Como se eu fosse um humano vivo
Vivendo pra ti cuidar e, te proteger
Sem você me ver
Sem saber quem sou
Se sou Anjo
Ou se sou
seu 
Amor


Essas são as músicas que estão me ajudando a enfrentar este momento cheio de confusão em minha vida. São músicas, que pra mim são tão lindas, e que me fazem muito bem. Espero que vocês tenham gostado delas.


Muito Obrigada
Até a Próxima
~~♥~~

28 de setembro de 2016

Cartas para Amélie

Olá pessoal. Como vocês  estão eu estou bem, estou indo. O blog tá parado, mas eu continuo por aqui, então não nos abandone. Já são quase meia noite deste dia 27 de setembro, mas não poderia deixar de falar sobre esse lindo projeto, que justamente neste dia se  completa 4 anos. Estou falando do Cartas para Amélie, criado pela Donna do blog Maybe Yellow.

                 

Este lindo projeto é inspirado no filme o Fabuloso Destino de Amélie Paulain. Como o próprio nome já diz, o projeto consiste em enviar cartas para as pessoas. Não importam onde elas estão, ou quem elas são. Não importa a distância. O que importa é a vontade, o intuito de enviar cartas. Resgatar aquele velho costume de se escrever uma para alguém. Colocar tudo o que você sente por esse alguém em uma carta. Contar para esse alguém sobre você. De demonstrar carinho, afeto... 

AMOOO ESSA MULHER <333
Acredito que só pelo fato de se escrever uma carta, já é uma forma de demonstrar que você se importa com este alguém. Nso importa o conteúdo da carta. Cartas servem para serem escritas com o coração. O coração carrega qualquer tipo de sentimento. É através da escrita conseguimos colocar o que se passa pra fora. E através das cartas conseguimos que este alguém saiba disso. 

No começo deste mês de setembro, enviei uma carta. Foi a primeira carta que enviei na vida. Através de tantos participantes de projeto escolhi uma pessoa. Foi uma carta simples. Dizendo quem eu sou, as coisas que gosto... Enviei a cartinha para Brasília. Até agora não obtive resposta, mas espero do fundo do meu coração que a carta tenha chegado ao destinatário e que ela tenha ficado tão feliz ao receber, quanto eu fiquei por escrever.

Eu estou gostando muito deste projeto. Até agora só enviei uma carta, por falta de tempo. Mas vou me organizar melhor e enviar muitas mais. Acredito que enviar cartas ilumina a vida das pessoas. E esse projeto fez com que a nossa geração, não tão habituada em escrever cartas, resgate isso lá do fundo e comece. Comece a abrilhantar a vida de muitas pessoas. Num dia qualquer então o seu carteiro/carteira passa e deixa - lhe uma cartinha, então você chega de uma dia cansativo, ver a carta e tudo se ilumina.

Convido todos vocês a participarem do Cartas para Amélie. Iluminem o mundo enviando cartas, que isso também iluminará vocês.

Projeto Cartas para Amélie 
Blog da Donna

FELIZ ANIVERSÁRIO CARTAS PARA AMÉLIE ♥♥♥
PARTICIPEM ♥♥♥


15 de setembro de 2016

perdida e salva

Ultimamente eu tô - muito - assim:

foto
Aqui dentro tá parecendo uma panela de feijão fervendo,  prestes a explodir. São várias coisas que estão acontecendo na minha vida e dentro de mim, e até que eu tô conseguindo lidar com tudo; mas sinto que não estou sendo verdadeira comigo mesma.

Sabe, conviver com pessoas, viver em sociedade é muito complicado, não sei se também é pra vocês, mas pra mim é uma luta todo dia. Quando eu era criança, até o comecinho da adolescência, eu era muito imperativa, não conseguia ficar parada. Sempre tava arrumando alguma pra fazer, pra brincar ou pra aprontar... resumindo quem eu era basicamente em uma só palavra, uma PESTE!!! Aí, quando botei os meu pézinhos na adolescência tudo mudou. Minha vida mudou, por causa de idas, que não vem ao caso, mas acabei tendo que assumir responsabilidades na idade que eu apenas deveria ser mais uma adolescente. Acabei virando filha exemplar, a aluna exemplar... tudo exemplar. Por fora tudo tava às mil maravilhas, mas por dentro não. 

Me lembro, que principalmente do início da adolescência pra cá, sempre tentei agradar as pessoas. Passar a imagem de uma menina sem maldade, sempre engraçada e tolerante com todos. Acho que pelo fato de eu ser GORDA! Sim, sou gorda. Não gordinha, talvez eu até hoje eu deixe me chamarem de gordinha - também pra evitar discussões - porque é isso que as pessoas fazem para tentar achar um meio termo para a palavra GORDA, para tentar ser "menos ofensivo", mas fazendo isso só estão sendo idiotas. Talvez algumas mulheres gordas se sentem melhor, sendo chamadas de "gordinhas", não julgo isso, somos irmãs e sempre vou respeitar a escolha de vocês. Mas, falando sobre mim, sempre me sentir assim. Sou GORDA e vou tentar passar a imagem de aceitar tudo e todos, ser sempre engraçada e sociável, para poder ter amigos ou entrar em algum grupo. E adivinhem a conclusão de tudo isso? Nunca fui eu mesma. Passei a adolescência toda, e e até hoje ainda existem reflexos disso em mim, não sendo eu.
                 
                                     
Sempre tive dificuldade em demonstrar o que sou. Sempre tive medo da reação das pessoas, do que elas irão pensar, e de assim decepciona-las. E de tanto pensar nos outros, eu acabei esquecendo de mim e vivendo em função sempre dos outros. Sempre quando penso isso, sento uma angústia tão grande. Dez quando eu comecei a trabalhar no começo deste ano, vi isso muito em mim. Eu sabia que eu fazia isso na época da escola, mas vi eu também fazia isso agora no meu emprego. Vi que as angústias, medos, inseguranças e o pior, a opinião dos outros ainda afetava a minha vida. É muito difícil pra mim ter que assumir isso pra mim mesma, mas isso ainda acontecia. Até que dez de quando eu terminei a escola, coloquei na cabeça que não viveria a minha vida em função outros e sim de mim, mas não nunca colocava isso em prática, até que agora estou começando a colocar.

foto
Claro que eu não estou virando a revoltada, que ficou em durante anos fingindo ser uma coisa que não era, e agora tá fazendo tudo o lhe der na telha. Não, não estou fazendo e eu não sou assim. É claro que eu solto uma palavrões - até mais que eu gostaria - pra aliviar a pressão desse mundo todo. Hoje, eu falo isso pra algumas pessoas, que se fosse há 1 ano atrás eu nunca teria coragem de dizer. É claro também que eu não deixei todas essas minhas neuras e preocupação com que vão pensar de mim de lado num piscar de olhos, não. Isso requer tempo, auto-conhecimento, empoderamento... E tudo isso vem com o tempo. Os dias vão passando e posso dizer que eu tô tentando e tô vendo que estou conseguindo. É muito bom poder soltar um palavrão desses de vez em quando. Ou se preferirem, pra evitar discussões idiotas que são vão lhes estressar, façam isso que eu também faço:

foto
Essa parte de mim, de me assumir. Assumir minhas vontades, desejos, objetivos, sonhos... Mas como eu disse no começo do texto, muitas coisas estão acontecendo nos últimos tempos. Pessoas entrando e outras que eu nunca imaginava que iriam, se foram. Meu trabalho continua me consumindo, mas estou aprendendo a lidar com ele. Estou aprendendo a dar limites. Que  se o meu horário de trabalho é este? Então é neste horário que eu vou entrar! nem um minuto a mais ou a menos. Não tenho todo o meu tempo disponível para o trabalho, e o meu tempo disponível não quero passar nele! E também sei que ele é apenas um degrau, o primeiro muito importante, para mim poder chegar a onde eu quero. Apesar de eu não ter muita certeza do que quero fazer da vida, mas sei que esse é apenas o primeiro passo. Também estou descobrindo que a vida de adulto é mesmo, tudo muito complicado. Todo começo de mês até o 5° dia útil é só farra, pinga e foguete, depois é só ladeira abaixo. 
É muito cansaço:

                                                   

Como todos nós estamos:

         

Não tá sendo fácil, irmãos:


Esse post já deu tantas voltas, que eu não sei a onde irá chegar. Mas se lembram disse que pra mim, viver em sociedade é uma luta a cada dia, por causa da minha insegurança de assumir a verdadeira Marina é difícil. Vivo tentando manter um equilíbrio com o que se passa aqui, e mundo lá fora. Às vezes fazer isso, faz bem (mentira, não faço porque sou pobre. Mas que um não faz mal nenhum):


Agora, deixando o lado cômico de lado. Existe uma música da Sandy (RAINHA)que se chama Perdida e Salva, que me faz tão bem, quando estou nos momentos de estar Perdida e ao mesmo Salva.
Não consigo explicar e, também não consigo entender tudo isso. É se sentir perdida no meio disso tudo, de toda essa imensidão... e ao mesmo tempo salva, por saber que existem coisas, pessoas e principalmente você mesma para se sentir salva. Que tudo irá ficar bem. Ouçam e, se deixem levar por essa linda música e por essa voz maravilhosa <333333


Não há, sensação melhor, não há
sinto estar
perdida e salva

Meu Deus, este post ficou enorme, me desculpem. Mas precisava falar isso. Tá tudo confuso aqui dentro, e isso está refletindo no blog. Preciso dá uma organizadinha aqui, pra pra poder dar uma organizadinha nele também.Muito Obrigada a todos que ainda estão aqui. Eu volto. 


Até a Próxima 
~~♥~~

21 de agosto de 2016

você

Sua roupa está pendurada na cadeira, 
a pego escondida para sentir teu cheiro. 
Só para ele ficar guardado em minha memória...  em mim. 
Fico imaginando, minha cabeça deitada junto ao teu peito, 
sentindo seu cheiro, você acariciando meus cabelos...
Não, não precisa dizer nada, eu sinto dimais.
 Não é culpa sua e não se sinta pressionado. 
Eu apenas não consigo amar pouco, 
sempre transbordo e, 
sei que a maioria das pessoas não estão prontas para lidar com isso; 
e talvez você também não.
Eu sou assim, não sei se você quer tudo isso, mas meu amor,
eu quero você.

Marina 08/08/2016

7 de agosto de 2016

a casinha com o seu pó mágico, e a música que eu achei

Encontrei essa imagem no tumblr hoje, e fiquei tão encantada quando a vi, que decidir compartilha-la aqui. Pra quem não lembra essa casinha da foto, faz parte do filme De repente 30, quando o Matt da essa casinha de presente, de aniversário, para a Jenna. Acho tão linda essa casinha, que no filme tem uma importância tão  grande. A mágica que existe nela, vamos dizer o pó de mágico que cai dela, faz a Jenna acordar com 30 anos e assim,  mudar a sua vida de cabeça pra baixo.  Bom, não vou especificar o filme aqui, mas é lindo.

E por incrível que pareça - não é incrível!- sempre fui apaixonada por essa casinha. Sempre quando via o filme ficava pensando em fazer uma pra mim (porque tenho esse hábito de sempre querer fazer as coisas, do que comprá-las). Sempre a achei linda e mágica, sou completamente apaixonada por ela. Bom, quem sabe um dia algum Matt, ou um Mark Ruffalo da vida, me dá uma ou eu mesma faça.


Outra coisa que vi hoje, e me marcou muito foi essa música de Luciano Pavarotti. Já há tinha escutado, mas hoje a ouvi na apresentação da Ginástica Artística Feminina da Itália, só ouvi a parte instrumental da música. Fiquei com ela na cabeça, e decidir ir atrás, demorei um tempo pra achar mas tinha certeza que era de Luciano Pavarotti, e que aqui está ela. Não faço a menor ideia do que ele canta - a não ser que eu vá no vagalume e descubra, mas estou com preguiça - mas é tão lindo a força que ele transmite ao cantá-la. A parte instrumental MARAVILHOSA, junto com a voz poderosa desse homem emociona qualquer um ao ouvir.

Esse foi o post de hoje, e como diz o Pernalonga (ou não), é isso pessoal!

~~~♥~~~

Até a Próxima

3 de agosto de 2016

coisas aleatórias que fiz e vi ;)

Igreja Matriz - Guarulhos
Pois bem, agosto começou, e já começou animado. Não estou falando do BEDA, porque eu não tenho condições psicológicas de participar disso. Vou confessar que sim, bateu e está batendo uma vontadizinha de participar, mas eu conheço bem está pessoa aqui (eu), e sei que desistiria logo amanhã. Infelizmente não dá BEDA, mas acompanho os blogs que estão participando e torço muito para que consigam, e quem sabe um dia eu tente, pelo menos.

Ontem foi meu dia de folga, e advinhem???passei o dia inteiro fora de casa, andando pra cima e pra baixo. Foi um dia bem cansativo, mas me sinto bem comigo mesma. Consegui fazer a maioria das coisas que estavam na minha lista de coisas para fazer, e estou bem alegre com isso. Talvez eu mude algumas aqui, outras ali...talvez.

Vocês perceberam que o blog mudou né? (Hello, tem alguém aqui?). Bom, ele mudou, e graças a deus criei vergonha na cara e coloquei isto em prática. Sabe, sou muito acomodada, tento não ser mas sou. Não é que o antigo layout estava me incomodando, mas eu queria mudar e não sabia por onde começar, por isso não mudei antes. Logo no finalzinho de julho bateu a loka em mim e mudei isto aqui. Gostei do jeito que ficou, estou numa fase mais clean e modo como ele ficou, me alegrou bastante. Talvez eu mude algumas aqui, outras ali...talvez.

mesa do computador toda bagunçada e com um prato de comida,
assim mesmo e sem filtro ;)))
Ontem aproveitei que já tinha um monte de coisas pra fazer e fiz mais uma. Passei nos correios e comprei estes selos, para começar a participar do projeto Cartas para Amélie, do blog Maybe Yellow da linda Donna. Gostei muito do projeto e decidir me inscrever, mas até hoje não enviei nenhuma cartinha se quer. Então neste mês de agosto pretendo botar as mãos e prática e escrever minha primeira carta.


Dê muito tempo pra cá, estou praticando o amor próprio. E há pouco tempo, conheci nessas propagandas do youtube,  uma pessoa MARAVILHOSAAAAA que faz um canal MARAVILHOSOOOOOOOOOOO chamado ALEXANDRISMOS da Alexandra. Geeeeente que mulher é essa? me deu um tapa na cara de tanta coisa boa. A Alexandra fala de muitas coisas, mas o foco principal é sobre nós mulheres e sobre tudo o que enfrentamos perante a sociedade e sobre nós mesmas. É muito lindo e emocionante ver a Alexandra falando. Parece que ela tá ali falando comigo de verdade. Cada vídeo dela, me toca e me vejo ali. Digo-lhes que pra quem não conhece o canal da Alexandra, vá conhecer imediatamente porque a mina é foda e todas nós mulheres precisamos de uma Alexandra em nossas vidas. Aliás falando sobre o BEDA, a Alexandra e seu canal estou participando do #LoVEDA a #MaratonadoAmorPrópria que eu estou seguindo, e que está sendo um aprendizado muito grande pra mim, sobre quem eu sou, sobre me descobrir, sobre me amar...vale a pena todo mundo ver. 

E é isso pessoal. O post foi bem aleatório hoje, e vou dizer que gostei bastante. Espero que vocês também.

Até a Próxima

~~~♥~~~

22 de julho de 2016

coisas que me fizeram feliz hoje

Não sei, me bateu uma vontade de deixar registrado isso aqui. Não fiquem pensando que eu ganhei na loteria, ou que eu ganhei um vale-viagem para conhecer todos os países do mundo (deus daí-me isso, pfvrrrr), não aconteceu nada disso. Mas pra mim, é como se fosse.

Não importa as coisas ruins que aconteceram no seu dia, ou nos outros dias. Ver um sorriso verdadeiro, um elogio que te faz bem, ou apenas um vídeo que fez o seu coração explodir de tanta alegria... Acho que são esses pequenos momentos de felicidade, sem nenhum aviso prévio, que faz a vida ser o que ela é: totalmente imprevisível e mágica.

primeira coisa feliz do dia:

Vi esse trailler LINDO do filme Moana, que me deixou com os olhos em formato de coração, igual aqueles emojis ♥♥♥. Gente, que coisa mais fofa/fofucha meu deus do céu (leia com aquela voz, que a gente faz quando ver alguma coisa fofa). Ele é tão simples e tocante. Dá uma vontade de pegar Moana no colo e aperta muito. Amei esse trailler e não paro de vê-lo, somente assistam e deixem a fofucha Moana abrilhentarem seus corações ♥.

segunda coisa feliz do dia:
Sim, esse comentário MARAVILHOSO da Ju (tô intima) me deixou super feliz. Adoro receber comentários no blog, todos os comentários me fazem bem (até o ruins, sempre trazem aprendizado), mas tem alguns que você sente que não só um comentário. Você sente que a pessoa não escreveu só por escrever, ela escreveu com o coração. E foi isso que eu senti ao ler este comentário da Juliana. Muito Obrigada Ju, me deixou muito feliz ♥. Ps:. Siga o seu coração.

Bom, como eu disse acima, essas coisas simples valem muito a pena. Fizeram o meu dia muito bom. Me fizeram feliz ♥.

Ps:. Como o dia não acabou ainda, vou deixar o post em aberto até meio noite.


Até a Próxima 

~~♥~~

19 de julho de 2016

folga

friozinho de arrepiar
Hoje foi o meu dia de folga do trabalho, e advinha o que eu fiz? NADA! Ou, quase nada. Creio pra mim, que todos os dias de folgas, temos que fazer nada. Porque já fazemos tudo nos outros, e neste dia tem que fazer coisas também? pois eu me nego.

Lógico que não é todos os dias da minha folga que eu não faço nada. Às vezes, vai ter alguma coisa pra fazer, ou pra resolver, isso faz parte da vida de adulto e suas responsabilidades. 

Por exemplo, hoje logo quando acordei lembrei que esqueci de levar o meu uniforme, e fui logo lavar roupa nesse frio de lascar repentino que surgiu aqui em sampa. Sempre lavo o meu uniforme, na noite anterior à folga, e ontem de um branco que acabei esquecendo. Depois aí, lembrei que tinha outras coisas pra fazer e fui logo fazendo, pra depois ter o dia pra não fazer NADA. NADA MESMO.

Trabalhar é osso, viiu gente?! Este está sendo o meu primeiro emprego e há 4 meses estou vivendo só do pó da rabiola. Ao mesmo tempo que é desgastante, é uma forma de si sentir útil também. Antes de começar a trabalhar, via pessoas falando isso e falava: Afff, sai pra lá, trabalhar é horrível. E também é, principalmente quando não si trabalha num lugar que você gosta/ou no que si gosta.  Mas agora que estou empregada, cansada tanto fisicamente como psicologicamente,  continuo grata por ter um emprego. Apesar de ser difícil, você se sente últil. Adquire o seu próprio dinheiro, e pode fazer o que quiser com ele. Independência, estou amando isso. 

Voltando ao não fazer nada, depois desta linda declaração ao trabalho, eu AMO não fazer nada. Antes de começar a trabalhar, na minha fase "desempregada", eu ficava super chatiada por não fazer nada. Me sentia a pessoa mais inútil do mundo. Sempre ficava casando coisas pra fazer, pra mim se sentir bem. Acho que isso é normal do seu humano. Ter coisas para fazer, para se sentir útil. Mas, agora quando não tem nada pra fazer, eu me sinto tão bem. É, uma das coisas que mais amo. Por isso tento sempre fazer tudo durante a semana, pra quando chegar o dia da minha folga não ter que fazer nada.

Coisas que eu fiz hoje:

-Lavei roupa.
-Arrumei a casa
-Fui comprar o papel pra mim fazer o meu caderno.
-Fui levar a foto pra revelar
-Tirei a foto acima.
-Baixei o aplicativo da Netflix no celular, e estou VICIADA. Como não baixei isso antes?!
- NADA, NADA, NADA, NADA... EU NÃO TÔ FAZENDO NADA (desculpa gente, não resistir.
-Estou escrendo este post.

 Ps:. Até que foi um dia, cheio de coisas não?!

Sei que este post foi super idiota, mas estou de folga e não estou com cabeça pra raciocinar assuntos bons.


Até a Próxima.

~~♥~~

5 de julho de 2016

31 perguntas para quebrar um silêncio constrangedor

Olá pessoal, que ainda visita este lugar quase inabitável por sua própria dona, como estão? bom, espero que muito bem, já eu estou sobrevivendo. Dez da semana passada estou com uma dor de ouvido que não me larga, e de domingo pra cá a gripe e a tosse resolveram me atacar também. E isso tudo somado com a minha vida do jeito que ela está, como disse no último post - que vamos combinar que foi pra lá de deprimente, mas precisava escrever sobre isso - que não estou nos meus melhores dias. Bom, mas não posso deixar que isso tudo me afete e me impossibilite de lutar pelas coisas que amo.

Vi está lista de perguntas do BuzzFeed em vários blogs que gosto, e achei super interessante. 31 perguntas para quebrar o gelo, e aquele silêncio constrangedor quando estamos conversando com alguém (penso comigo mesma, que se quero voltar com o blog não posso ficar apenas pensando nisso, tenho que botar em prática, e respondendo essa lista super engraçada é um jeito bem legal de ir voltando ). Vamos combinar que não o existe nada pior, quando você está conversando e aí acaba o assunto, e fica àquele silêncio horrível, que você reza pra um buraco se abir em baixo de você e te sugar, ou um meteoro atingir a terra e aquele momento constrangedor acabar. Pois agora isso irá acabar, com estas perguntas que agora vou responder, e quem sabe você também, super divertidas e engraçada pra acabar com àquele silêncio horrível de uma vez por todas.

1. Você gosta de coentro ou acha que tem gosto de sabonete?
Olha, eu amo o cheiro de coentro. Mas não sei se gosto dele como comida. (entenderam???). 

2. O que você acha de áudios do WhatsApp?

Às vezes acho prático, por exemplo quando não estou com vontade de escrever. Outras vezes me irrita, por a pessoa só ficar mandando áudio quando por exemplo estou em público e sem fones de ouvido, ou quando estou do lado dos meus pais (àquela carinha). 

3. Você também comia o chocolate da Turma da Mônica pelas bordinhas? 

Gente, a minha memória é horrível. Não me lembro de comer pelas bordinhas, e nem se algum dia eu cheguei a comer este chocolate. 

4. Qual é a melhor consoante do alfabeto? 

M, claro. 

5. Qual é a primeira rede social que você vê de manhã?

Facebook. 

6. Você acha que existe alguma bala melhor que 7 Belo?


BALINHAS DE GOMA E DE CANELAAAAA, AMOOOOO MUIIITO (desculpem, exagerei no caps lock). 

Uma foto publicada por Marina Bonfim (@marinabonfim_) em

7. Que cor você acha menos confiável?
Não sei, nunca pensei sobre isso. 

8. Qual foi o último filme que você viu e odiou?

Faz muito tempo que não vejo filmes, e não me lembro qual odiei. Na verdade isso é bem raro de acontecer, raramente eu odeio um filme, até os mais ruins dificilmente eu odeie. Fico com essa menagem na cabeça:" Tente sempre ver alguma coisa boa", e na maioria das vezes sempre vejo.

9. Qual animal parece mais simpático, um pato ou um golfinho?
A resposta que logo me veio na cabeça é o golfinho. Mas paro pra pensar, que os patos também são bem simpáticos. 

10. Toddy ou Nescau?

Nescau. 

11. Você acha que bebês conversam uns com os outros? 

Com TODA A CERTEZA! Eles tem uma língua entre eles, que só eles entendam. Essa língua MARAVILHOSA que nos contagia. Nós também já falamos essa língua um dia, infelizmente não possuímos mais, essa MARAVILHOSA habilidade.

12. Sabia que todo mundo é feito de poeira de estrelas?
Não. Adoro essa conspirações de onde surgiu/veio o homem. Fico fascinada com tudo isso, e começo a viajar no mundo da lua. Ou melhor, no das estrelas...

13. Ouro Branco ou Sonho de Valsa? 

Nunca comi Ouro Branco, Sonho de Valsa não gosto muito, pode ser Pão de Mel??? 

14. Qual era seu desenho favorito na infância?
Vários. A maioria que passava na TV Cultura, Sbt, e TV Globinho <33333

15. Que série você jamais reveria?

Não sei. Não assisto muito séries, e todas que vi, tenho vontade de ver de novo. 

16. Qual personagem do Harry Potter você menos gosta?

Gina Wesley, não dá. 
17. Qual é sua opinião sobre barrinhas de cereal?
Gosto e não gosto. Desculpem, sou de libra. 

18. Com quem você dividiria um Bis?

Posso ficar com ele só pra Mim?? 

19. O que você faria se achasse R$ 50 na rua?
Se eu visse de quem era o dinheiro, devolvia na hora. Minha consciência não me permiti ficar com coisas dos outros. Ela sempre fica martelando aqui dentro: Você tem que entregar, isso não te pertence. Mas se eu não visse, e não achasse a pessoa, compraria uns artigos de papelaria que eu tô querendo.

20. Quanto tempo uma comida precisa estar na geladeira para você considerar ela velha?

Uma semana, pode ser?

21. Qual é seu número preferido?

20, porque nasci no dia 20 kkkkkk. 

22. Qual é o aplicativo mais inútil do seu celular? 

Agenda de Estudante. Já tentei me adaptar a ele, mas não conseguir. Enquanto isso ele ainda está lá no meu celular só ocupando espaço.

23. Quem você tiraria do elenco de “Friends” se fosse obrigado?
Nunca assistir friends. 

24. Você é contra ou a favor de comer macarrão com arroz?

Sou a favor das pessoas comrem/misturarem o qui elas quiserem. 
25. Qual foi a última vez que você precisou usar a Fórmula de Bhaskara? 
Nossa, faz tempo ein??!! 

26. Você acha que dá para morrer de overdose de rúcula?

ANNNNN??? Existe isso???. 

27. Quanto tempo você levou para entender como funciona o Snapchat?

Até hoje não entendo. Só sei que é um aplicativo que si grava vídeos, e depois de um tempo eles apagam sozinhos. Não tenho cabeça pra fazer isso. 

28. Qual é sua opção favorita no restaurante por quilo? 

TUDO.

29. Você gosta de “Sorry” do Justin Bieber? 

Gente, da pra tocar nas baladinhas, dar uma dançandinha, mas é só lá. Bora superar. 

30. Você prefere passar muito frio ou muito calor? 

Nenhum dos dois. Todo o exagero faz mal.

31. Você está dormindo e sobe uma barata na sua cara. Você prefere continuar dormindo e nunca saber ou acordar e fazer alguma coisa?

Gente, eu infarto. Lógico que eu acordaria na hora, não ia conseguir dormir direito durante um bom tempo. 

Não fui indicada pra responder este post, mas eu tô nem ai com isso. E se você que está lendo isto também quer responder, fique à vontade. ;)

---

Até a Próxima


1 de julho de 2016

Um emaranhado de coisas...

São tantas coisas. Tantas, que tenho que fazer, e que ao mesmo tempo que não sei o qui fazer. Estou tão perdida e cansada. Queria poder ficar no meu quarto, deitada na minha cama debaixo das cobertas, só com os meus fones de ouvidos escutando as minhas músicas preferidas. Queria poder fugir um pouquinho si quer desta rotina, destas obrigações, desses sentimentos... Sentimentos que borbulham dentro de mim, como panela com água fervente. Tantas coisas mudaram e estão mudando. Pessoas estão entrando e algumas que achava que nunca iriam embora, se foram. Meu coração voltou a palpitar mais forte por um "talvez" amor. Meus sentimentos em relação a isso também estão confusos, um dia é uma coisa, no outro já não é mais. Imagino várias coisas entre nós... neste exato momento estou ouvindo uma música que lembra está pessoa, e ao mesmo que é bom, também é ruim, por não saber o qui vai acontecer.

Minha vida está assim, um ponto de interrogação enorme? Não sei o qui fazer. As coisas que me davam prazer, que me estimulavam, deixei de lado ao começar a trabalhar. O blog está parado a mais de um mês. Os meus projetos pessoas também. Minhas leituras e estudos estão todos parados. Preciso de um estímulo para voltar a fazer o que gosto. O meu emprego não pode me consumir desse jeito. Acordo pensando em ir trabalhar, chego do trabalho, durmo e, no dia seguinte a mesma coisa. Os meus únicos dias de alívio são os de folga. Não imaginei essa vida pra mim. Sei que essa é a vida de adulto, cercada e responsabilidades e afazeres, mas não quero só isso. Não quero que a minha vida seja só trabalho, casa, e obrigações a serem cumpridas. Quero mais, quero viver, não só existir. Quero uma coisa que me faça sentir o coração encher de calor, de vontade, de ir e fazer. Quero poder acordar todos os dias e dizer vamos pra mais um dia, mas dizer com vontade, aquela vontade que vem de lá de dentro e que te leva. Eu quero a minha vida, não esse marasmo. Que fique bem claro que não estou reclamando,do meu trabalho, sei que a situação do país está muito difícil e vejo isso todos os dias, pessoas indo onde eu trabalho entregar currículo, e sou eternamente grata por terem me dado está oportunidade. Só estou dizendo que não posso viver a minha vida inteiramente em função do meu trabalho. Vou para lá, faço o que tenho que fazer e tchau. Estou dizendo, que tenho que ter uma vida fora de lá, e isso eu não estou tendo.

Quero voltar fazer as coisas que gosto. As coisas simples que me enchiam de prazer de vontade de viver. Não posso deixar meu trabalho me consumir desse jeito. Que me impossibilita de fazer as coisas que gosto. Preciso começar a tomar controle da minha própria vida. Não é fácil, todas as noites penso em fazer isso, mas todos os dias pela manhã acontece a mesma coisa, nada.Tá tudo muito confuso aqui dentro. Um emaranhado de emoções, de sentimentos que não sei o qui fazer. Acho que preciso o tirar um tempo pra mim. Me encontrar comigo mesma, voltar a ter um pouquinho de paz aqui dentro. Não estou bem, espero que isso passe logo. Espero que compreendam esse sumiço repentino meu daqui do blog. O Quem Sou Eu? Não vai acabar, ele só está esperando eu me arrumar direitinho aqui, pra mim poder arruma-lo. Não sei quanto tempo isso aqui dentro vai durar, mas fico feliz em saber que existe o Quem Sou Eu? Onde eu posso desabafar, sem ficar fingindo sentimentos ou sorrisos falsos, onde eu posso ser que eu sou. E se ainda tiver alguém ai do outro lado, lendo este texto, espero que me compreenda, e muito obrigada por ainda estar aqui.

Texto escrito no dia 27/06/2016, Marina.

18 de maio de 2016

2 anos de Quem Sou Eu?

Hoje este blog onde vós falo, onde eu posso ser quem sou, e que tanto amo, completa 2 anos de vida.
Nunca achei que fosse possível eu ter um blog que completasse 2 anos (na verdade ele entrou no ar dia 17 de maio de 2014, mas o primeiro post foi dia 18 de maio, mas tá valendo os dois dias). Eu sou tão aérea, exatamente aquele tipo de pessoa que quando começa uma coisa nunca termina, eu sou assim. Então eu sempre ficava, vendo aqueles blogs completando 1, 2...5 anos, e ficava imaginado se um dia o meu chegaria pelo menos a um 1 ano, e hoje ele chegou aos 2 anos.

Olho pra trás e lembro do dia que decidir fazer um blog. Dez da escolha do nome, montá-lo com um loyout legal, junto com as minhas poquíssimas habilidades com o HTML, e ai colocá-lo no ar, fazer posts, receber os primeiros leitores, os primeiros comentários, dez de elogios a críticas... e ai ter um clique e decidir terminar tudo. Pra quem não sabe o nome do meu primeiro blog, era "Tímida Confiantee" desse jeito mesmo com dois "ees". Eu adorava aquele blog, até perceber que não estava sendo eu. Que eu postava mais as coisas, pra receber visualizações, do que gostar daquilo que eu estava escrevendo/postando, e aí decidir acabar com ele. Não foi fácil, me lembro que fiquei um bom tempo pensando se fazia outro blog, se começava tudo de novo... e vejo hoje em dia, que tudo na vida tem um momento pra acontecer, e pra recomeçar.

Não me lembro ao certo quando decidir criar o Quem Sou Eu? E não foi de primeira que o Quem Sou Eu? decidiu existir; demorou bastante tempo até eu me desapegar do outro blog, e ter coragem para fazer outro. Acho que o mais difícil de criar o Quem Sou Eu? foi justamente arrumar este nome "Quem Sou Eu?". Na época eu não fazia ideia de quem eu era, do que gostava, do que queria... mas aí vi esse nome nos blogs, nas barras laterais onde fica a foto e a descrição de quem é que escreve àquele blog, aí deu o clique, porque não colocar o nome do blog de Quem Sou Eu? se parece tanto comigo ( e ainda continua parecendo), e foi aí que o Quem Sou Eu? começou a existir.

Acho que ter um blog - acho não, com certeza - ter um blog foi uma das melhores coisas que eu fiz na minha vida. Ter um blog, me ajudou e continua me ajudando a me descobrir, a conhecer Quem Sou Eu?. Me ajuda a descobrir novas coisas, novas opiniões, novas pessoas... descobrir este mundo inteiro. Fico tão feliz, em saber que eu tenho um blog. Que eu tenho um lugar onde eu possa ser verdadeiramente eu. Onde eu posso colocar/postar o qui eu quiser. E sentir isso, me faz querer continuar neste mundo da blogsfera durante um bom tempo.

Amo esse meu cantinho. Amo esse universo todo dos blogs. A pessoa que teve a ideia de criar o "blog", sou eternamente grata a ela. Porque deu não só pra mim, mas para todos que teem um blog hoje, de terem um blog (essa pessoa com certeza vai pro céu).

Então chegando ao fim de mais um post, só tenho a agradecer. Agradecer por todos os dias desses 2 anos. Pelos dias de inspirações e de não inspirações. Por cada dia de posts e de não posts. Por cada dia que assim fizeram o Quem Sou Eu? chegar até aqui. Muito Obrigada a todos. Todos que já passaram por aqui. Todos que ainda vem aqui. Todos, todos, todos. E também o meu OBRIGADA ao Quem Sou Eu? por existir em minha vida ♥♥♥♥♥.


~~~♥~~~

Obrigada

17 de abril de 2016

Universos

Há alguns dias atrás, estava dando uma fuçada no meu facebook, vendo posts e compartilhamentos antigos, quando de repente vejo uma postagem que tinha compartilhado a algum tempo. Me lembro muito bem do dia em que vi essa matéria no Hypeness, de um jovem brasileiro que usa o universo para retratar a Beleza Afro e Celebrar a Diversidade. Claro que cliquei imediatamente no link, e me deparei com coisas LINDÍSSIMAS:
foto
foto
foto
foto
foto
foto
Assim que vi, fiquei completamente encantada com os desenhos. A sensibilidade que o Yo (é o nome do carinha que desenha esses desenhos MARAVILHOSOSSS, o nome dele verdadeiro é Yorhán Araujo, mas acho que podemos chama-lo de Yo), é linda de si ver. Yo criou essa série de desenhos chamada Universos, que tenta (tá conseguindo!) mostrar através de seus desenhos que cada pessoa é um universo, o seu universo particular, e que assim podem ser, quem preferirem ser. 

Acho isso muito legal. Muitas pessoas não se sentem representados pelos personagens que vemos na TV, eu mesma não me sinto representada. Várias vezes já tentei ser como àquela princesa da disney, mas ela não tinha nada haver comigo (pelo menos não por fora, mas por dentro sim, mas quando somos crianças não vemos por esse lado). E ver pessoas fazendo isso, desenhando cabelos, traços, cores... como as minhas, é muito importante. Acho que ai batemos numa tecla, que tem que ser batida todos os dias, a tecla da representatividade. Isso é muito importante, representar pessoas de todos os tipos. De todos os tipos de cabelos, de cores, de raças... isso é importante, para que não haja o efeito da exclusão. E isso o Yo está fazendo muito bem. 
foto
Realmente os desenhos com efeitos do universo nos cabelos é belíssimo, e muito representativo, chega até emocionar ver isso. A cultura negra sendo representada, sendo mostrada é lindo.

Pra quem quiser saber mais sobre essa linda série chamada Universos que o Yo criou, pode dar uma olhadinha lá no facebook do próprio Yo, e no instagram também. O Yo também criou outra série que é muito divertida, e que vale a pena ser vista. Eu mesma me identifique com várias coisas da série, que se chama Devaneios com Sigmud e Freud

Vimos que os desenhos do Yo além de lindos são muito representativos e importantes, para todos nós sermos que somos. O nosso próprio universo particular. Pois os deixo agora com essa linda mensagem abaixo:
foto


~~~♥~~~

Até a Próxima.

3 de abril de 2016

E aí?

Ela disse: Bom Dia!
Ele disse: E aí?
Ela não sabendo o que responder depois de um simples "E ai?" respondi com um outro: 
E ai?
Ele responde perguntando à ela: Tudo bem?
E ela responde com um simples: "Tudo Sim!"
Depois de uma conversa nada longínqua, fica um silêncio perturbador entre os dois.
E ela fica se perguntando, que deveria ter perguntado se estava tudo bem com ele também, mas não perguntou.
Talvez se tivesse perguntando, a conversa entre os dois teria fluído, e assim ela teria se aproximado mais dele.
O que ela está sentindo por ele não foi paixão a primeira vista, nem a segunda vista... e sim, depois de muitas vistas. Com o passar do tempo ela está vendo ele com outros olhos. E voltando a sentir as famosas borboletas no estômago.
Amanhã ela vai vê-lo de novo, e quem sabe depois dela dizer: Bom dia?, e ele perguntar: E ai?, E ela dizer: E ai?, ele dizer: Tudo bem?, e ela dizer: "Tudo Sim", e ai sim, ela pergunta: E com você?


~~~♥~~~

2 de abril de 2016

O Diário de Anne Frank

Hello, it's me! Eu sei, eu sei está é a famosa música da Adele que eu, você e mais o mundo inteiro já cantou, ou já si pegou com ela tocando dentro da cachola; mas eu estava aqui pensando num jeito de começar este post, depois de um tempinho longe deste recinto, e isso foi a primeira coisa que veio a minha cabeça, comunicando-lhes que eu ainda estou aqui. Como alguns de vocês que leem o blog (e os qui ainda não sabem, e os qui também não leem, não importa!) sabem que no último post comentei que finalmente (obrigada senhor!) consegui um emprego e que depois disso o meu tempo não está mais tão disponível assim. Mas hoje não vim falar disso, apesar de tudo estar muito corrido e, que o tempo que eu tenho de sobra só me da vontade de dormir e nada mais... Mas hoje vou falar do último livro que li, O Diário de Anne Frank.
Eu demorei bastante tempo para ler este livro. Pra vocês terem uma ideia, comecei a lê-lo no fim do ano passado, e só acabei agora, no começo de março. Talvez tenha sido falta de empenho minha, mas também acho que existem livros que faz com qui queremos lê-los devagar, sem pressa... desfrutar daquela obra que está em nossas mão. Lê-la tim tim por tim tim, com calma e tentar absorver tudo o que ela tem a nos oferecer. Até agora estava muito em dúvida se viria ou não resenhar este livro aqui. Afinal de contas se trata de uma história real, tudo o que está escrito nele aconteceu de verdade, e isso mexe comigo. Não posso julgar uma obra com fatos reais. E até agora eu não sei si tenho capacidade de resenhar este livro. Mas vou tentar por que quero deixar gravado aqui nos arquivos do blog, que ele esteve aqui, e que o li.
Todos nós sabemos a história de Anne Frank, durante o período em que viveu, junto com sua família e mais algumas pessoas, dentro de um sótão (anexo secreto) num prédio que servia de sala comercial de um dos amigos da família e, com o apoio de alguns outros amigos. Todos nós sabemos que isso aconteceu durante o período da segunda guerra mundial, quando a Alemanha Nazista queria dominar o mundo, e para que somente existissem pessoas que fossem da sua raça ariana. E nós só sabemos que existiu uma Anne Frank, porque ela escreveu este diário durante os dois anos que ela viveu escondida, junto com sua família e mais essas pessoas dentro do anexo.

Acho que teve um propósito - inexplicável- de Anne ter ganhado este diário, dias antes de ir para o anexo. Já pensaram se ela não tivesse ganhado esse diário no aniversário dela? Se ela não escrevesse um diário? Lógico que existem outras histórias de pessoas que viveram nessa época, e que são tão verdadeiras e importantes quanto a de Anne. Mas, já pensaram se ela não tivesse ganhado este diário e, assim não ter escrito nada? Fico pensando nisso de vez em quando, até pode parecer idiota, mas precisava colocar isso aqui.

Tudo o que Anne via, sentia, falava, fazia...Todas as discussões, brigas, xingamentos, medos, angústias, relatos da guerra, felicidades sentidos...tudo o que ela era, tudo o que ela sentia vontade de dizer, colocar pra fora ela fazia com Kitty (nome que deu para o seu diário). Anne tratava o seu diário como uma verdadeira amiga, uma amiga que nunca tinha tido antes, e que através deste diário conseguiu uma.
Anne era apenas uma menina. Uma menina que estava saindo da infância para entrar na adolescência, que todos nós sabemos que é uma das fases mais difíceis da vida. E si já não bastasse ter que lidar com isso dentro dela, ainda tinha o mundo que estava em guerra. Não consigo imaginar o quão difícil era passar por tudo isso. Ter que reprimir o que estava acontecendo dentro de você, porque as pessoas lá fora estavam matando os qui consideravam "inferiores". Porque aquilo lá fora era mais importante - e de fato era importante - mas o qui estava acontecendo com ela também. E ela não podia falar sobre isso, porque se falasse os "adultos" iriam dizer que estava com frescura. Não os julgo, mas acho que é preciso-principalmente nessa fase da vida- toda a compreensão dos pais, mesmo que o mundo esteja em guerra, aí é preciso mais compreensão ainda. Si para os adultos é difícil, imagine para uma criança que está entrando na adolescência? E é disso que Anne si queixava muito em seu diário, a falta de compreensão.

Tenho que admitir, que em alguns momentos também não a compreendia muito. Ficava pensando: Como você pode julgar os seus pais? eles estão fazendo de tudo para sobreviver e fazer com qui você sobreviva também? Mas depois parava pra pensar que ela até podia estar errada em alguns momentos, mas não era culpa dela. Si eles estavam pedindo que ela os compreendessem, eles também tinham que compreendê-la. 
Anne não tinha um péssimo relacionamento com seus pais. Ela era mais apegada ao pai, do a mãe, mas isso é normal. Antes da guerra, e assim irem para o anexo secreto, eles eram super apegadas uns aos outros. Mas, depois que a guerra começou e foram para o Anexo, as coisas mudaram um pouco. Anne ficou cada dia mais distante de sua mãe e mais apegada ao pai. Com o passar do livro a gente vai vendo umas tentativas de aproximação das duas, e às vezes um distanciamento do Pai. Anne também tinha sua irmã Margot, que não eram super amigas, Anne até fala no livro que as duas são super diferentes, mas que sabem que podem contar uma com a outra.

O que mais me chamou atenção no Diário de Anne Frank, foi a esperteza de Anne. Anne era uma menina orgulhosa, não dava o braço a torcer. Sempre matinha a sua opinião e na maioria da vezes sem achava que a dela era a certa. Mas, apesar de sua pouca idade, Anne era muito (mas muito) madura. No Diário, ela fala coisas que me deixaram pasma. Nem eu com 18 anos tenho essa maturidade que ela tinha com 14/15 anos. Anne, queria viajar, estudar, conhecer o mundo, ela pensava a frente de seu tempo. Não queria ser igual sua mãe -como ela dizia - ficar em casa, ter filhos e cuidar do marido... ela queria viver. Anne não apenas escrevia, ela escrevia muito bem. No Diário ela diz, que queria ser escritora quando acabasse a guerra. Fico imaginando que com toda a certeza ela teria sido uma grande escritora.

No livro Anne tem vários momentos bons e ruins. Tudo o que ela vivia, ela contava a Kitty. Suas brigas com seus pais, com os Van Dean - a família que morava com eles - as brigas com o Sr. Dussel - outra pessoa que morava com eles. Mas, também aconteciam coisas boas. Momentos de risadas, brincadeiras que ela fazia questão de registrar em sua diário. O momento que ela se viu apaixonada por Pitty - filho dos Van Dean. 

Uma vez eu vi num blog - fotografario - que a dona tinha lido este livro, e ela estava contando como foi lê-lo e no final ela dizia bem assim: Dá um sentimento ruim no final, por não ter um final- E foi exatamente o que eu senti. Dá esse sentimento ruim, por ele não ter esse final. Quando cheguei na último página e estava escrito fim, sei muito bem que não acabava por ali, ela poderia ter continuado escrevendo. Fico pensando se eles não tivessem sido denunciados? Se eles continuassem escondidos até a guerra acabar? Anne teria vivido todos os sonhos que existia dentro dela. Todas as pessoas que morreram teriam vividos todos os seus sonhos. Mas infelizmente, com Anne e as pessoas que estavam com ela no anexo, isso não aconteceu.

A vontade do ser humano de querer sempre mais, pode acabar com a vida de milhares de pessoas que não tem nada ver com isso. Que não teem culpa de terem nascido quem são, ou de pertencerem a alguma religião. Elas só querem viver suas vidas em paz, como todo mundo quer. Que tenhamos um mundo mais tolerante, com compaixão ao próximo e com muito amor. Que não existam mais histórias como a de Anne Frank, mas que a história dela e de milhares de pessoas que morreram por causa da ganância de outros, nunca seja esquecida. Para que assim, essas histórias nunca voltem a acontecer.


Até a Próxima