6 de maio de 2015

Eu sou um cartaz HIV Positivo, e preconceito Negativo

São quase oito horas da noite e daqui a pouco tenho que sair do pc, porque o meu irmão sempre entra neste horário, pra jogar esses joguinhos que existe pela internet. E como sou uma irmã boa (na maioria das vezes), deixo ele ficar um pouquinho aqui. Mas, eu não vim aqui pra falar da minha relação com o meu irmão e o pc, mas sim de uma reportagem que vi na minha timeline (acho chique esse nome), do facebook e vim aqui compartilhar com vocês.

Assistam, por favor:



É realmente emocionante esse vídeo. Quando o vi, senti que tinha que vir aqui no blog e compartilhar com vocês. Acho que esse tipo de campanha, quanto mais for compartilha mais teremos pessoas, informadas, menos ignorantes e preconceituosas.

Às reações das pessoas, são as mais diversas possíveis. Alguns ficam chocados, outros surpresos, outros levam com naturalidade e alguns me surpreenderam de uma forma, que me fez abrir um sorriso no rosto. De saber que o preconceito, só existe na cabeça de quem não si informa. De quem não procura saber o qui é o HIV. Porque na real, quem si informa de verdade, quem procura saber mais sobre essa doença, sabe que ela não si transmite só de tocar em alguém. Só de tocar no sangue daquela pessoa que está com o vírus.
O HIV, não é um bicho de sete cabeças, que não deve ser enfrentado. Ele ainda não tem cura, mas existe remédios que faz a pessoa que tem o vírus viver tão bem, quanto uma que não tem. Estender a mão pra essas pessoas que tem o vírus, é uma linda forma de demonstrar que você não está nem aí, si ela tem ou não HIV. Dar um abraço, um aperto de mão, um beijo no rosto uma palavra bonita isso pode fazer a diferença no dia/na vida daquela pessoa.

O HIV é uma doença, mas o preconceito é uma maldição. A maior diferença nesses dois é que uma tem cura e a outra não. Então si você ai do outro lado da tela, está lendo este texto, e pensa que o HIV é um ser de outro mundo, e que não existe no seu, fique sabendo que ele existe sim! E o melhor jeito de você lidar com  ele, é si informar, pesquisar mais sobre essa doença, e as pessoas que convivem com ela. 

Informe-se, procure, fale, compartilhe, divulgue essa campanha, esse vídeo. Fale sobre o HIV, com sua família e seus amigos. Deixe o preconceito de lado e vá. Abra sua mente.


Se o Preconceito é uma doença, a informação é a cura.


~~~~♥~~~~