30 de maio de 2015

A felicidade de "falar sem parar" do que amamos

No que você poderia Falar sem Parar??? Pra mim essa pergunta, é um pouco difícil de si responder. Mas pra outras pessoas, ou até mesmo pra você que está lendo isso, à resposta deve estar na ponta da língua. Falar sem Parar, é um projeto criado pelo Pablo Vallejos, que eu dando minhas fuçadas pela internet e pesquisando mais sobre ele, achei uma das pessoas mais criativas, amorosas, e simples que eu já vi. Pra vocês terem uma ideia, o cara é: Jornalista, Fotografo, Escritor e Criador do Falar sem PararResumindo um pouquinho Falar sem Parar, é uma Web Série que mostra às pessoas falando sem parar, sobre àquilo que amam.


Já faz tempo que eu queria falar sobre esse lindo projeto aqui no blog. Assisti alguns videos, e  vi depoimentos que me tocaram tanto que tive a certeza  que devia compartilhá-los, e fazer com qui mais pessoas os vissem.  São depoimentos curtos de 3 minutos cada, gravados pelo próprio Pablo, que mostra a vida de pessoas que amam o qui fazem, e que poderiam falar sem parar sobre aquilo que tanto às fazem bem.  

Pessoas que tiveram suas vidas mudadas por acontecimentos que às marcaram. E que esse "acontecimento" foi o impulso que faltava para que mudassem de vida. Pessoas que simplesmente resolveram sair da "zona de conforto" e decidiram arriscar naquilo que às fazem feliz. Pessoas que agora dão mais valor a vida.  Dão mais valor àquilo que às fazem felizes. São pessoas diferentes umas das outras. Pessoas simples, que tentam levar a vida do jeito que acham melhor, mas sempre com muita leveza e amor.  Mas, uma coisa elas tem em comum "AMAM" o qui fazem, e são "FELIZES" com isso, e do jeito que são. 

É difícil falar sobre o Falar sem Parar, acho que nenhuma palavra que eu falar aqui vai transmitir o qui esse projeto é na real. Acho que vocês só vão sentir, o qui eu senti se virem os depoimentos dessas pessoas. É um mais e emocionante que o outro. Ver o olhar deles falando do que amam, do que às fazem felizes, com tanto amor e carinho é muito contagiante e inspirador. Me fez querer ser como eles. É lindo, lindo de si ver.  


O Falar sem Parar, mim deixou sem palavras! :)))


Por isso relacionei alguns videos que eu gostei MUIIIITO e espero que vocês gostem tembém. Bora?!


''Meu cachorro Klain''
André kano


''Gastronomia''
Nanda P. Carneiro



"Vida"
Fabio Assuf  



"Bolhas de Sabão"
 Gabriele Valente    



"Doação"
     Marcos Araújo    



"Semeadura"
Isabelle dias 


pra quem não conhece a Isa, ela tem um blog lindo o Quintal de Casa

"Zona de Conforto"
- Karin Gama



"Ilustração"
Felipe Carvalho  



"Sagrado Feminino" 
Fernanda Mayrinck  



"Arte em Movimento''
Jota Carneiro



''Editoras Independentes''
Cecília Arbolave



''Mulheres que Inspiram''
Priscilla Adduca  



''Como mim tornei um Professor''
  Marcio Gonçalves   



Deu pra perceber que cada vídeo é um tema. E que cada tema, é a vida dessa pessoa. Me identifiquei com alguns depoimentos, principalmente com o penúltimo. Mas, todos são maravilhosos. Infelizmente não deu pra colocar todos os vídeos aqui, mas quem quiser ver, e saber mais sobre o Falar sem Parar, esse lindo projeto do Pablo Vallejos é só ir na Fan Page do facebook e curtir a página, e seguir o Canal lá no youtube.

Espero que vocês tenham gostado do projeto, dos depoimentos, e que vocês possam acompanhar e divulgar esse projeto por ai. E que ele possa ir Ao infinito e além.

~~~~♥~~~~

Até a próxima.

27 de maio de 2015

A Luta de cada um - Pagu

Acho que ninguém nunca vai escrever direito a história da Pat. Cada um conta de um jeito e não contam o por dentro que era o mais bonito que ela tinha. Eu gostaria que um dia a história dela fosse contada direitinho.
     -Telma.     

Depois de muito tempo, enfim uma resenha de livro aqui no blog. Pra quem não lembra da primeira está aqui. Li A Luta de cada um Pagu, já faz um tempinho, e queria compartilhar com vocês esse livro que tanto gostei. 

Pra quem não sabe e não associa esse nome a nada, Patricia Rehder Galvão mais conhecida como Pagu, nasceu em São João da Boa Vista interior de São Paulo, em 1910, foi Jornalista, Escritora, Militante política revolucionária, (principalmente no governo de Getúlio Vargas), Crítica/Diretora de teatro, Poeta, Desenhista. Fez parte do modernismo brasileiro junto de outras grandes mulheres, e também foi uma das primeiras feministas (não necessariamente com esse nome) a surgir no Brasil no século 20. Diria que Pagu foi uma figura instigante, que pensava fora da caixinha totalmente e sempre a frente de seu tempo. E que também lutava por àquilo que acreditava. E como lutava.

Esse livro é uma biografia autorizada, escrita por Lia Zatz.  E quem conta a história é Telma, uma personagem fictícia criada pela autora. Telma é uma catadora de sacos plásticos e outras coisas que ela recolhe aos montes. São seu sustento, para cuidar do filho. Entre várias coisas que Telma acha, muitas vezes ela encontra documentos/histórias de pessoas que já morreram, e os familiares veem o porque?! de guardar toda àquela papelada. E assim Telma encontrou a história de Pagu. Uma jovem que deu o qui falar durante toda a sua vida. Começava assim a narrativa/história de Telma e Pagu, com o intuito de contar tudo direitinho, e o mais verdadeiro possível.

Como disse acima Pagu, foi uma revolucionária no seu tempo. Polêmica, ela causou muito na sociedade paulista daquela época. Ela não se vestia do mesmo modo como às outras mulheres se vestiam. Pagu, era extravagante. Fumava, usava batom roxo, maquiagem forte, cabelos soltos sem nada para domá-los, roupas diferentes, onde passava chamava atenção. Pagu, não seguia os padrões de beleza da época, gostava mesmo era de si vestir do jeito que si sentia bem. Tinha uma beleza que chamava atenção. Neste livro tem várias fotos dela e com toda a certeza posso afirmar que ela era linda.

Pagu, Geraldo e o filho Kiko. Pagu e sua irmã Sidéria. Pagu.
Quando digo que com CERTEZA Pagu, era uma mulher de garra, e polêmica isso é bastante verdade. Pagu, se casou muito nova aos 19 anos, com o Oswlad de Andrade, que antes era casado com a Tarsila do Amaral. Oswald de Andrad foi uma pessoa muito importante para Pagu, em todos os sentidos. Isso fica muito visível no livro. Foi o homem que lhe apresentou a vida, a cultura, os vários modos de si pensar. Pagu, já era Pagu antes de conhecer o Oswald, já pensava fora da caixinha e já tinha a sua própria personalidade, mas o Oswald lhe apresentou o mundo, e contribuiu muito pra vida da Pagu. E como contribuiu, tiveram um filho juntos o Rudá. Foi um homem  que ela amou, e foi muito amada. Depois de um tempo eles se separaram, e Pagu teve outro marido, que cuidou dela até o dia de sua morte, o Geraldo Ferraz. Geraldo era muito apaixonado pela Pagu, cuidou dela com muito carinho nos seus últimos dias de vida. Eles também tiveram um filho chamado Kiko.
Oswald, Pagu e o filho Rudá

Pagu, era muito nova quando se associou  ao Partido Comunista Brasileiro (àquele do Getúlio Vargas do começo da década de 30.), e por causa dele foi inúmeras vezes pra cadeia. Numa época que não si via nenhuma mulher fazendo parte de um partido e protestando,  ela fez a diferença. Como fez!
Pagu, também viajou pra outros países. Em 1933 decidiu ir embora para a França, conhecer o mundo. Era nova, tinha apenas 23 anos e precisava disso. Mas, isso também teve consequências. Teve que deixar o filho com o então marido Oswald. Ficar separado do filho foi muito triste para a Pagu, precisava ir embora, mas um dia voltaria.

A Pagu também adorava dançar. Isso fica bem visível no começo do livro. Quando ela era criança, por exemplo ADORAVA ir nos carnavais de rua, junto da irmã Sidéria. Adorava si fantasiar. E foi ai que ela viu como os homens assediavam às mulheres. Pagu, mostra isso muito bem no seu romance:

Todas as meninas bonitas estão sendo bolinadas. Os irmãozinhos seguram  as velas a troco de balas. A burguesia procura no Brás carne fresca e nova
  - Que Pedaço de Italianinha!
  -Só figura. Vá falar com ela. Uma analfabeta.
  -Pruma noite, ninguém precisa saber ler.
Esse livro A Luta de Cada Um Pagu, é um livro que conta a história da Pagu, de uma forma simples, sem aqueles  flu, flu só pra deixar o livro mais grosso. Uma pessoa simples, como ela era. Uma pessoa que apesar das dificuldades, e de todas às pessoas, ela nunca deixou de ter esperança de um mundo melhor pra todos. Lutou por isso, fez muitas coisas, mas era apenas uma no meio de um monte de gente medrosa e totalitária. Pagu, apesar de não aparecer muito nos livros de história, e não parecer necessariamente importante pra história do Brasil, ela foi sim! Uma GRANDE figura feminina. E ainda é! No sentido de lutar pelos seus direitos, de ter o direito de ter sua própria opinião, o seu próprio jeito de si pensar. De ir contra aquilo que não achava certo, e de fazer o qui for preciso, pra aquilo que acreditava si tornar realidade.

Esse livro é  uma leitura simples, gostosa de si ler. Um livro cheio de imagens da época, e de desenhos feitos pela própria Pagu. E também com uma grande ajuda ao meio ambiente, porque o livro é feito de folhas recicláveis.

Acho que não existe definição para a Pagu. Defini-la seria indiotice da minha parte. A Pagu foi tudo. Uma mulher de verdade, que vale muito a pena ser lida. Vele a pena dar uma chance, e conhecer como foi a vida da Pagu. Ela não foi apenas uma mulher militante, que ia contra tudo e todos, ela também foi mãe, esposa, amiga, filha, irmã... ela foi tudo quisesse ser, e fazer.

E pra quem não associa o nome da Pagu a nada, como eu disse no começo do texto. Eu aposto que vocês já viram, ou já ouviram essa música por ai:




Nem toda feiticeira é corcunda
Nem toda Brasileira é Bunda
Meu peito não é de silicone
Sou mais macho que muito home

P.S: essa música é FOOODAHH...

~~~~~♥~~~~~

Uffa, enfim terminei! Tenho a impressão de qui falei dimais, e que mesmo assim ficou faltando muita coisa. Histórias boas são assim, sempre ficam faltando alguma coisa. Mas, acho que deu pra vocês conhecerem melhor a Pagu, e a história dela. E si vocês quiserem saber mais sobre ela, e só pesquisarem pela net, vocês vão encontrar bastante coisa. E é claro lerem esse livro A Luta de cada um Pagu,  e outros livros que existem sobre a Pagu.



Espero que tenham gostado do livro, e da resenha.
Até a próxima.



19 de maio de 2015

QUEM SOU EU? 1 ANO DE VIDA


OLÁAAAAAAA, pesssoal! Estou aqui para COMEMORAR, com vocês essa dádiva da minha vida, que ontem dia 18/05/2015 completou 1 aninho de vida. Sim! O QUEM SOU EU? está comemorando o seu primeiro ano de existência. E estou tipo assim: '':ooooooooo"

AIIIIIII, MEU DEUSSSS.....

Sei que devia ter vindo falar sobre isso ontem, mas antes tarde do que nunca. Não poderia deixar está data, tão importante para mim e para o blog, passar despercebido. Estou SUPERRR feliz por isso. Estou SUPERRR pelo Quem Sou Eu?. Realmente não consigo achar às palavras para dizer o qui sinto. E isso não é discursosinho não! é de verdade mesmo! O Quem Sou Eu? é muito importante pra mim, ele é eu estampado em cada post, em cada palavra, linha, sílaba, acentos, pontos, exclamações, interrogação escritos nesse blog. É eu em cada detalhe desse loyout, desses temas, desses títulos. O Quem Sou Eu? é Eu!

A cada dia que si passa sinto, que uma da melhores coisas que fiz em toda a minha vida, foi ter criado esse blog. Ter encontrado um jeito de me encontrar e de me conhecer no meio de todo esse turbilhão, com várias interrogações, dúvidas, medo etc... que é a minha vida. Claro, que já passou pela minha cabeça, desistir do Quem Sou Eu?, mas sinto que si eu desistir dele, eu vou está deixando um pedaço de mim ir embora, e nesse momento não posso fazer isso.
ESTOU EM LÁGRIMAS

Realmente eu só tenho a agradecer a TODOS, TODOS vocês que acompanham o Quem Sou Eu? e que gostam de mim (não precisam nem gostar), mas que gostam de todas às coisas que posto aqui no blog. A vocês que comentam, fiquem sabendo que a cada comentário de vocês me faz tão feliz, e me deixa mais empolgada a postar e continuar com o blog. Obrigada vocês, 53 pessoas que seguem a página do blog no facebook. Obrigada vocês seguidores 34 seguidores aqui do blog. 

Agradeço demais a todas os amigos que fiz com o blog. Não vou citar nomes, mas acredito que eles saibam que sinto um carinho ENORME por eles <3. Agradeço a todos os meu amigos, e família. Agradeço a todos que acreditaram e acreditam em mim, e que essa coisa de ser blogueiro, não é qualquer coisa, é MUITO. Agradeço a Deus. Obrigada.
Quem si lembra do primeiro loyout do blog? é do de baixo. Sinto saudades dele. Quem sabe não mudo de novo :)

PARABÉNSSSSSSS! :)))))))

Parabéns ao Quem Sou Eu? que ele tenha muitos e mutos anos de vida, e que ele dure até quando Deus permitir. Muito Obrigada a todos vocês. Muito Obrigada.

Até a próxima *----*

15 de maio de 2015

Músicas preferidas de aberturas de séries

Uma das coisas que eu mais gosto é música (quem não?), e hoje vou falar um pouco sobre isso, mas ao mesmo tempo vai ser um pouco diferente. Eu, nas minhas voltas que dou pela blogsfera, fuçando em tudo quanto é blog, que gosto e acompanho não me lembro de ter visto, um post como esse que vou fazer agora.

Ele não é nada dimais e não merece tanta animação assim, como mostra esse gif acima. Ele é: (música de suspense, plizzz!) MINHAS MÚSICAS PREFERIDAS DE ABERTURAS DE SÉRIES, Whattt? sim, o post de hoje é sobre isso, e eu estou muito empolgada para faze-lo. Porque já faz muito tempo que eu queria falar sobre isso aqui mo blog, e mostra para vocês às minhas músicas favoritas de aberturas de série.

Sabe, àquela música que de só de você escutar você lembra daquela série ou daquele filme? ( vou fazer de filmes também), e que às vezes você gosta tanto daquela música que até baixa ela no seu celular, e assim si sentir naquela série, durante o ônibus, na escola ou andando pela rua? (tô exagerando?), sei que isso parece idiota, mas pra mim não. Gosto de reparar nas trilhas sonoras dos filmes, das séries, das novelas,  e até mesmo dos livros que leio. De escutar uma música, e achar que ela cairia perfeitamente naquele casal. Ou ver uma música que é tema daquele casal, e achar que ela não combina,  e opinar. E às vezes chegar ao ponto, de escrever um e-mail pra àquela novela,  dizendo que aquela música não te NadaVer, com àquela novela, ou com aqueles personagens ( uma vez quase fiz isso, mas dei pra traz). Eu sou tão fascinada por essa coisa de tema, música, que combina que às vezes paro de gostar de um personagem, ou de uma série por causa disso (paranóia, sim? ou claro?!). 

Acho que agora devemos ir direto para às MINHAS MÚSICAS PREFERIDAS DE ABERTURAS DE SÉRIE, (parece que eu estou falando que nem àqueles apresentadores de shows de talentos, que estão anunciando um novo candidato, ou àqueles programas que tem uns quadros, que tem os nomes mais idiotas possíveis.) Melhor irmos direto ao qui interessa.


ONE THEE HILL - (Lances da Vida)
De todas às músicas que eu vou falar aqui, com CERTEZA a de One thee Hill é a minha queridinha. É uma das melhores séries que eu já vi. Quem aqui nunca viu uma chamada dessa série no sbt, quando era criança?. Me lembro muito bem disso, tava lá assistindo os desenhos e passava a chamada LANCES DA VIDA (versão em português), e eu sempre assistia os capítulos. Sempre tentava chegar um pouquinho antes porque não queria perder a abertura da série, e assim poder cantar essa música I Don't Want To Be... (ela é ótima, escutem plizzz!)



SMALLVILLE - As Aventuras do SuperBoy
Quem nunca viu pelo menos um capítulo de Smallville, que atire a primeira pedra. Eu me lembro que quando era criança assistia essa série, mas não gostava tanto quanto de One thee Hill. Eu gostava mais da música de abertura. Me lembro que odiava uma personagem da série, o nome dela era Lana, e ela não gostava do superman, e ele a amava muito. E era um drama pra lá, outro pra cá, tanto sofrimento que acabei parando de assistir aquilo, porque já estava me enchendo o saco. Era sofrimento pra minha cabecinha, e eu tinha que assistir One Thee Hill e Super Choque entre outros... Essa série durou dez temporadas, e pela minhas fuçadas pela internet ele parou de gostar dessa de tal Lana, e ficou com Lois Lane (ÓBVIO). Talvez eu volte assistir Smallville. Vi alguns capítulos assim por cima, e achei interessante. Quem sabe, néh? por enquanto prefiro ficar com a música.


CSI - Nova York
 Tem CSI? tem sim! Adoro essa série, só assistir os capítulos que passaram na record. É o único seriado policial, que tive paciência e coragem pra assistir (sou medrosa pra essas coisas) De todos os CSI's que existem, o Nova York é o meu preferido. Talvez seja pela música de abertura, que é super empolgante e diferente. E que eu acebei de descobrir que é o The Who que canta, WHATTTT???


DOWNTON ABBEY
Downton Abbey é a mais recente dessas todas que acompanho. Vi que a TV Cultura iria começar a transmiti-lá e decidir assistir. A primeira temporada assistir assim por cima, já segunda estou fazendo de tudo para não perder nenhum capítulo. Porque oh, série boa dimaissss. Pra quem ainda não viu, superrrr indico assistir. E a ouvir também,  essa música que faz parte da trilha sonora. Acho que é a única música que toca na série toda. De todas às músicas aqui citadas, é a única que é apenas instrumental. Ninguém canta, mas não deixa de ser linda. Apenas escute-a e  deixe sentir uma belíssima música entrando pelos seus ouvidos, e sentida dentro do seu coração.



THE O.C - ( Um estranho no Paraiso)
E por último, mas não menos importante The O.C. Me lembro muito bem, que quando era criança assitia essa série. Aliás todas as séries citadas aqui, exceto Downton Abbey, fizeram parte da minha infância. Me lembro que The O.C e One Thee Hill eras às minhas preferidas. Gostava muito dessa série, mas não acompanhei todos os capítulos, só os qui passavam na televisão que era transmitida pelo sbt. Acho que eu gostava mais da música, do que dela própria. A música tem tudo haver com essa série. A série se passava na califórnia e a música dizia "Califórnia, Here we Come!", era dimais eu adorava/ainda adoro essa música. Pena que a série durou só 4 temporadas, super indico vocês assistirem ela, aposto que vão si identificar com os personagens (quem nunca?), mas indico ainda mais a ouvirem essa música. Vale a pena.


E ai pessoal, gostaram das músicas? Acreditem se quiserem mas eu nunca assistir essas séries por inteiro. Nunca terminei de ver todas às temporadas, mas não deixo de ser fã delas.
Gostei muito de ter feito este post. Me fez lembar da minha infância. Puxar às memórias lá no fundo, foi muito bom.

~~~~♥~~~~

Até a próxima!

6 de maio de 2015

Eu sou um cartaz HIV Positivo, e preconceito Negativo

São quase oito horas da noite e daqui a pouco tenho que sair do pc, porque o meu irmão sempre entra neste horário, pra jogar esses joguinhos que existe pela internet. E como sou uma irmã boa (na maioria das vezes), deixo ele ficar um pouquinho aqui. Mas, eu não vim aqui pra falar da minha relação com o meu irmão e o pc, mas sim de uma reportagem que vi na minha timeline (acho chique esse nome), do facebook e vim aqui compartilhar com vocês.

Assistam, por favor:



É realmente emocionante esse vídeo. Quando o vi, senti que tinha que vir aqui no blog e compartilhar com vocês. Acho que esse tipo de campanha, quanto mais for compartilha mais teremos pessoas, informadas, menos ignorantes e preconceituosas.

Às reações das pessoas, são as mais diversas possíveis. Alguns ficam chocados, outros surpresos, outros levam com naturalidade e alguns me surpreenderam de uma forma, que me fez abrir um sorriso no rosto. De saber que o preconceito, só existe na cabeça de quem não si informa. De quem não procura saber o qui é o HIV. Porque na real, quem si informa de verdade, quem procura saber mais sobre essa doença, sabe que ela não si transmite só de tocar em alguém. Só de tocar no sangue daquela pessoa que está com o vírus.
O HIV, não é um bicho de sete cabeças, que não deve ser enfrentado. Ele ainda não tem cura, mas existe remédios que faz a pessoa que tem o vírus viver tão bem, quanto uma que não tem. Estender a mão pra essas pessoas que tem o vírus, é uma linda forma de demonstrar que você não está nem aí, si ela tem ou não HIV. Dar um abraço, um aperto de mão, um beijo no rosto uma palavra bonita isso pode fazer a diferença no dia/na vida daquela pessoa.

O HIV é uma doença, mas o preconceito é uma maldição. A maior diferença nesses dois é que uma tem cura e a outra não. Então si você ai do outro lado da tela, está lendo este texto, e pensa que o HIV é um ser de outro mundo, e que não existe no seu, fique sabendo que ele existe sim! E o melhor jeito de você lidar com  ele, é si informar, pesquisar mais sobre essa doença, e as pessoas que convivem com ela. 

Informe-se, procure, fale, compartilhe, divulgue essa campanha, esse vídeo. Fale sobre o HIV, com sua família e seus amigos. Deixe o preconceito de lado e vá. Abra sua mente.


Se o Preconceito é uma doença, a informação é a cura.


~~~~♥~~~~

4 de maio de 2015

Fones de ouvido, música e o mundo de cada um


Ps. Esse vídeo é FANTÁSTCO. Então vejam, e escutem vocês não vão se arrepender.

Sou instável. Uma hora estou bem, outra já não estou. Mas, não precisam ter medo. E os qui já me conhecem e não sabem disso, não precisam se afastar. Às vezes, não tenho controle sobre isso/sobre tudo, mas acredito/certeza que com uma boa música, tudo fica bem. A música tem o poder de acalmar (pelo menos pra mim). De ti trazer paz, e ti dar força pra encarar qualquer coisa, qualquer problema. Não sei como explicar isso, acho que nem os cientistas e pesquisadores deste planeta sabem, mas como diz o nosso querido Caetano Veloso: "Por isso essa força estranha, me leva a cantar, por isso é que eu canto, e não posso parar." É uma força estranha, muito estranha, mas que é muito bom, isso é. não é?

Quando tiver algum problema, coloque os seus fones de ouvido e suas músicas preferidas pra tocar. Isso coloque eles. Acho que os fones  de ouvido fazem com qui a gente tenha o nosso próprio mundo. Como se nada mais existisse. Só você e os seus fones de ouvido, compondo o mundo com às musicas, que passam pelos fios até chegar aos seus ouvidos, e assim ir surgindo àquele mundo que só você possui. Coloque aquelas músicas que você sabe, que ti brotam um sentimento bom. Que ti acalmam e lhe dão confiança, pra encarar qualquer problema, que até então você via como um furação, mas não passa de uma mera chuva de verão, que logo passará. Ahh, e si for possível dance também, porque não? Faça o qui você quiser. Colocar tudo pra fora, às vezes e necessário, para que possamos seguir em frente. Com uma vida mais leve, com um olhar diferente sobre os problemas/sobre o mundo,  sobre nós e assim sermos felizes. 

1 de maio de 2015

Como eu me vejo (desenho)


Essa sou eu. Mas ou menos. O desenho não ficou do jeito que eu queria. Mas como eu não sei desenhar muito bem, pras minhas limitações até que eu gostei (muiiito).

Eu tenho o cabelo cacheado. Rosto oval. Ombros largos. Seios relativamente grandes, barriga saliente. Braços grossos em cima, finos embaixo (kkkk). Mão grande, dedos finos e compridos. Quadril largo. Cochas médio pra grande, pernas finas. E pés normais. Não sou alta (1,60). Tenho várias pintas, e marcas pelo corpo, que talvez nunca sumam. Mas, isso não faz de mim uma pessoa diferente.
Sou uma pessoa como qualquer outra. Com imperfeições e perfeições. Não sei se conseguir passar tudo isso pro desenho, mas esse trabalho de você se auto retratar me fez ver coisas que nunca tinha visto antes. Por vergonha de olhar no espelho, de olhar pra mim. Não é fácil si aceitar, do jeito que si é. Mas, a partir desse desenho, me fez começar a olhar mais pra mim e menos pros outros. Parar de dizer que sou feia, e aquela/aquele são bonitos. Tentar parar de me auto-sabotar, e parar de ficar procurando imperfeições pelo meu corpo, e começar a olhar o qui eu tenho de bom. Porque afinal ninguém é perfeito, ou melhor que ninguém. Acredito que somos todos, uma mistura de nossas imperfeições, e de coisas boas que existe dentro de nós. É isso que  torna cada um do seu jeito, especial e único.
Adorei fazer esse post. Sejamos todos felizes do jeito que somos.

~~~~♥~~~~

Esse post faz parte dos memes do mês de abril do rataroots.

~~~~♥~~~~

Gostaram do post? Do Desenho? me contem.
Até a próxima.